Aquarela: Tudo sobre as tintas


Para quem está começando a aquarelar uma das dúvidas comuns que me enviam bastante é sobre a tinta em si, e uma das coisas mais importantes para estudos artísticos é você conhecer bem o material que está usando. No meu curso de aquarela e nos meus workshops, eu explico e coloco na prática tudo sobre a aquarela e suas técnicas. E hoje eu vim compartilhar com vocês mais detalhes sobre as tintas, para que você possa adquirir mais conhecimento e aplicar no seu trabalho.


ORIGEM DA TINTA E FABRICAÇÃO


A tinta aquarela urgiu no século II a.C., os pigmentos eram feitos a partir de pedras e plantas moídas, onde eram feitas misturas com água, óleo e outros líquidos. As bases de cores principais eram de materiais diversos, alguns exemplos: o amarelo era uma mistura com açafrão, o verde com cobre, o roxo com conchas moídas, entre outros. E a tinta era usada para pintar vários tipos de materiais, não apenas papel. Por algum tempo na Idade Média a aquarela era considerada uma tinta para "pintores preguiçosos", pois ela não trabalhava muito as camadas como as tintas óleo muito usadas na época, ela se tornou mais conhecida e usada posteriormente, principalmente em papel.


Sua tinta é formada por um pigmento de cor moído e goma arábica (aglutinante que fixa a cor) e outros aditivos. Ela é misturada com água, onde depois de aplicada e seca, a água evapora e resta apenas o pigmento e o aglutinante, que funciona como uma cola. Atualmente existem várias composições de aquarela, dependendo do fabricante e seu tipo. A principalmente característica da aquarela e que a destaca entre as demais é sua transparência. Por isso, diferente da pintura tradicional, para se ter luminosidade na aquarela você usa o próprio branco do papel, trabalhando as camadas do mais claro para o mais escuro.


LINHAS DE TINTAS


Para escolher a sua aquarela é importante saber que existem três tipos principais: os escolares, os para estudantes e os profissionais. A diferença básica é o tipo e quantidade de pigmento que você terá nas tintas, quanto mais pigmento maior será a durabilidade e, consecutivamente, mais cara será a tinta. As linhas escolares e para estudantes são normalmente feitas com pigmentos sintéticos ou corantes, diferente das profissionais que são pigmentos de alta qualidade todos naturais.


Internacionalmente a aquarela é muito comum e possui diversas marcas e linhas com preços acessíveis para você testar e comprar, infelizmente aqui no Brasil ainda são bem caras as profissionais e algumas de estudante. Porém, separei algumas marcas que você encontra aqui e que são populares.


Aquarelas Escolares: Reeves, Faber-Castell, Crayola, Pentel, entre outras.

Aquarelas de Estudante: Linha Cotman da Winsor and Newton, linha Talens da Van Gogh, Lukas da Aquarell Studio, entre outras.


Aquarelas Profissionais: Linha Artists da Winsor and Newton, Pebeo Fragonard Extra-Fine Artists, Talens Rembrandt, Schmincke Horadam, entre outras.

TIPOS DE TINTAS


Os principais tipos são as tintas em bisnagas, pastilhas secas, pastilhas semi-úmidas, líquidas, em lápis e bastões. Seja qual forma de aquarela que você escolher, a qualidade e resultado não será influenciado, o que muda é seu tipo e adaptação para cada artista. Eu uso em meus cursos as bisnagas, pois acho mais fácil para iniciantes fazerem as misturas e se sentirem mais confortáveis para usar a tinta, porém, procure testar todas e encontrar a que mais se adequa à você.


PIGMENTOS DAS TINTAS


Para entender como funciona a pigmentação da aquarela, você deve conhecer os principais tipos utilizados na fabricação, que são os Inorgânicos ou Minerais, os Orgânicos Naturais e os Orgânicos Sintéticos.

Inorgânicos ou Minerais: são os mais antigos e de origem mineral (como nos exemplos que citei inicialmente).

Orgânicos Naturais: são derivados de plantas e animais, não são mais tão usados devido a ameaça de extinção dos animais.

Orgânicos Sintéticos: são pigmentos mais atuais e de origens químicas.

IDENTIFICANDO AS CORES


Algumas coisas específicas são encontradas nas embalagens das tintas e é legal você conhecer para identificar a qualidade do pigmento e saber o que está comprando.


Nome da cor, conhecida como CIC (Colour Index Common)

Qualquer que seja a tinta você encontra o nome da cor, seja ele fantasia ou inspirado no pigmento, isso varia muito de marca. Uma dica para entender os nomes é se atentar quando tiver a palavra “Hue” que geralmente é uma tinta criada com pigmentos mais baratos que o original e presente nas linhas de estudantes. Por isso as tintas são mais baratas e com menos durabilidade e transparência.

Séries (Series)

As tintas mais profissionais possuem classificações em séries, sendo a série 1 a mais barata e 5 a mais cara, onde essa qualidade é devido aos pigmentos utilizados.

Pigmentos usados, conhecido como CIGN (Colour Index Generic Name)

Esse é o código onde indica os pigmentos usados para fazer a tinta, sua ordem é a letra “P”, que significa pigmento, as letras seguintes indicam o tom que foi usado e os números indicam qual a cor dentro de cada tom. Lembre-se sempre que a maioria desses códigos serão em inglês, pois são as marcas mais comuns atualmente. Por exemplo: vermelho = PR, amarelo = PY, azul = PB, preto PBk, entre outros. Você não precisa saber todos os tons existentes, mas é legal entender como funciona esse código caso for comprar uma cor específica de marcas diferentes e deseja saber a cor exata, que as vezes é diferente da cor na embalagem.

PROPRIEDADES DA TINTA

A aquarela possui propriedades bem específicas e que influenciam nos resultados de seus estudos, por isso, é legal conhecer cada uma e fazer os experimentos certos. No meu curso, eu ensino cada um na prática com exercícios e aplicações.

Transparência (Transparency)

Também é conhecida como luminosidade, é basicamente a luz que passa entre o pigmento e reflete a superfície branca do papel. Quanto maior a transparência de uma cor, maior é o seu brilho na hora da aplicação e maior a sobreposição entre cores.

Opacidade (Opacity)

Quando a tinta é opaca ela não permite que a luz atravesse o pigmento e reflita no fundo branco do papel. Isso torna a aplicação mais lisa e sem usar a sobreposição.

Capacidade de Adesão (Staining e Nonstaining)

Basicamente a força da tinta sobre o papel, se ela vai sair com facilidade ou não. Usando a água, você consegue retirar ou não a cor, as tintas com boa adesão são mais difíceis de retirar e as com pouca adesão são mais fáceis e usadas em técnicas de pontos de luz.

Permanência (Permanence ou Light Fasteness)

Outra coisa importante é saber quanto tempo de duração terá o pigmento no papel. Em algumas embalagens você consegue identificar isso através do símbolo + ou é indicada descrita. Cores com pouca permanência sofrem mais com o passar dos anos e ações do tempo, fazem com que elas fiquem mais claras e percam os pigmentos.


Essas são as principais características e termos sobre a tinta aquarela, vale a pena você procurar investir em aquarelas de boa qualidade para ter resultados incríveis. Espero ter ajudado você a ter mais conhecimento! E para mais detalhes e aplicações das técnicas, conheça mais sobre meu curso e workshop de aquarela. Qualquer dúvida ou sugestão, mande para a gente!



Bons estudos! Obrigada por tudo, até semana que vem!


Nadine Guerra


  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Grey YouTube Icon

© 2018 Nadine Guerra